1 de março de 2013

Políticos suecos vivem sem mordomias. Bom exemplo para os nossos

Na Suécia, os deputados não têm privilégios ou mordomias. Para ficarem no centro de Estocolmo, os deputados chegam a viver em T0 de 18 m2 e chegam a ter de partilhar uma cozinha com várias pessoas.

Não há empregados nem motoristas e dizem os políticos suecos que até o primeiro-ministro, Fredrik Reinfeldt, passa as próprias camisas a ferro.

Vale ressaltar que na Suécia o sistema e forma de governo é a Monarquia Parlamentarista, onde o monarca exerce o poder moderador. Outros países seguem esse sistema, como: Bélgica, Noruega, Inglaterra, Holanda, Dinamarca, Canadá, Austrália e Japão.

No nosso país, o Brasil, o sistema e forma de governo é a República Presidencialista. Fato que explica a diferença de comportamento entre os políticos suecos e os brasileiros.

Os brasileiros, em casos de ampla divulgação na mídia, protestam contra a corrupção; no entanto, esquecem do fator gerador deste mal: a Republica. Muitos pensadores acreditam que a República deu certo, em parte, apenas nos Estados Unidos.

A ideia de República é que nenhum cidadão seja subordinado a outro sem que exista Lei que determine esta subordinação. Assim sendo, o cidadão comum ou o cidadão funcionário público serão escravos da Lei, nunca um do outro. E essa escravidão não foi abolida na República e sim pelo Império.

Numa monarquia, o rei não ganha nada com corrupção, pelo contrário, perde. Não só perde dinheiro, como perde poder e prestígio. E esses fatores são poderosos motivos para que o monarca se disponha a combater pessoalmente a corrupção.

Na República, a corrupção é a fonte financiadora das riquezas pessoais e das eleições políticas. Pedir ao político republicano que a combata, é pedi-lo para não se enriquecer e não conseguir o dinheiro que ele precisará para financiar a próxima eleição. Apostar que o fim da corrupção se dará no sistema republicano é pura ingenuidade. Afinal, os cargos eletivos têm validade, fazendo com que o político se aproveite do cargo para benefícios próprios sem visar o bem comum.  Já o monarca (rei, imperador, etc) é obrigado a manter a lisura das ações do governo, pois seu cargo é perene e tem que dá o exemplo.

Muitos historiadores apontam D. Pedro II como o governante mais honesto que existiu no Brasil. Ao contrário de muitos políticos de hoje, D. Pedro II morreu pobre num hotel de Paris, em 1891: documentos comprovam isso. Assim que o golpe da República foi consumado, o governo provisório ofereceu uma pensão ao Imperador. Ele se recusou a receber e disse: "Como eu posso aceitar dinheiro do Brasil sem estar servindo ao meu país?". Me diga qual político hoje negaria uma pensão do Estado?

Se você, cidadão brasileiro, afirma que jamais aceitaria a volta da monarquia pelo simples fato de não querer sustentá-lo pela vida inteira. Saiba você, caro contribuinte, que sustenta da mesma forma, em partes, os ex-presidentes do Brasil. Os benefícios não envolvem o pagamento de uma aposentadoria - como ocorre com governadores em alguns Estados - mas incluem, com pagamentos feitos pelo erário, quatro seguranças treinados pelo governo e com direito a porte de arma institucional, dois motoristas com dois veículos oficiais e dois assessores com salário mensal de R$ 8.988.

Todos os quatro ex-presidentes vivos do Brasil - José Sarney, Fernando Collor, Lula e Fernando Henrique Cardoso - usufruem dos mesmos benefícios. Ainda que não tenham aposentadoria - revogada na Constituição de 1988 -, os ex-presidentes passam às suas viúvas o direito a uma pensão vitalícia no valor atual de R$ 26,7 mil, mesmo salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Estatísticas entre Monarquia Parlamentarista e República


Honestidade:

Dos 10 países mais honestos do planeta em 2011, 7 são monarquias. 70% do ranking. Apenas 3 são repúblicas.

Resultado semelhante, ocorreu também em 2010 e nos anos anteriores.

Desenvolvimento Humano:
Dos 10 países com melhor Índice de Desenvolvimento Humano, 7 são monarquias. Os outros são repúblicas.

Dos 10 países com menor Índice de Desenvolvimento Humano, todos são repúblicas, 8 presidencialistas e 2 semi-presidencialista.

Democracia:

Dos 10 países mais democráticos,  7 são monarquias e os outros 3, repúblicas.

Posição          País        Índice   Forma de governo
1                Noruega          9,80    Monarquia Parlamentarista
2                Islândia          9,65    República Parlamentarista
3                Dinamarca     9,52    Monarquia Constitucional semi-parlamentar
4                Suécia              9,50   Monarquia Parlamentarista
5                Nova Zelândia 9,26   Monarquia Parlamentarista
6                Austrália         9,22    Monarquia Parlamentarista
7                Suíça                9,09    República confederativa
8                Canadá            9,08    Monarquia Parlamentarista
9                Finlândia         9,06    República presidencial-parlamentar
10              Países Baixos  8,99    Monarquia Parlamentarista

Vejam os vídeos:



Já no Brasil...



Há um manifesto, no AVAAZ, pela restauração da Monarquia Parlamentarista no Brasil.

7 comentários:

  1. Infelizmente a transição da monarquia para a república não foi democrática. Na época do publicito (1993), que seria no dia 7 de setembro, foi adiantado para 21 de abril - data significativa para os republicanos -, fora o tempo na TV que era bem pequeno para expôs melhor as ideias monárquicas.

    ResponderExcluir
  2. Se o Brasil adotasse a Monarquia Parlamentarista, seria outro país.

    ResponderExcluir
  3. Considerando a situação atual, quem seria o primeiro-ministro? O Renan Calheiros?

    ResponderExcluir
  4. A Suécia foi construída pelo próprio povo durante séculos, ja o Brasil e uma invenção feita de fora para atender os interesses de fora.Nao interessa quem e o governante que esta no poder , e só um fantoche. Nos ,o povo, fomos criados para dizer sim,sempre.

    ResponderExcluir
  5. Renan Calheiros é piada, né? Soube que o Ramo de Vassouras, da Família Orleans e Bragança são preparados desde a infância para tomarem atitudes de um legítimo monarca. Seguem tradições rígidas, casam até virgens, são educados na Europa. Todo esse preparo é para se um dia a monarquia parlamentarista voltar, o imperador está preparado.

    ResponderExcluir
  6. Esse post me fez ter um olhar diferente da monarquia e também da república...

    ResponderExcluir
  7. Isso eu já tinha observado há anos ao ler sobre os países do mundo. No EUA a república deu certo porque foi criada por protestantes britânico, com seu modelo de comunidade.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO!

1-Comente apenas sobre o conteúdo da postagem, caso o comentário aborde outro assunto que não seja o exposto no texto, ele será excluído.
2-Não use palavras de baixo calão.
3-Se deseja comentar , reclamar ou participar das redes sociais do site, é só clicar no link desejado.

APROVEITE NOSSO CONTEÚDO NAS REDES SOCIAIS!

Instagram
Twitter
Facebook
TV Beleza Sergipana
Assine nosso feed
Entre em contato conosco